NOTÍCIAS

  • Primeiro Evento Teste Slalom – Rio 2016
    Primeiro Evento Teste Slalom – Rio 2016

    Aconteceu nesta quinta-feira (26/11) o “Aquece Rio” evento teste para os Jogos Olímpicos Rio 2016, o campeonato pode ser considerado um teste, mas os 122 atletas estão remando nas águas do “Canal Rio” estão fazendo o seu melhor. “Estamos desfrutando realmente desta água, descendo com alegria e aproveitando a cada segundo na água porque o resultado vai ser consequência” comenta Pedro Gonçalves, atleta do K1 Masculino que garantiu o 19º lugar nas classificatórias de hoje com o tempo de 95.36 segundos. No C1 Masculino, Leonardo Curcel fez um tempo de 122.57 segundos ficando em 24o lugar, o canoísta espera buscar um bom desempenho neste evento para tentar adquirir mais experiência e lutar por uma vaga nos Jogos Olímpicos no ano que vem. “Estou trabalhando bastante, quero me esforçar ao máximo nessa competição, porque agora já estamos no clima olímpico. Quero lutar para representar o Brasil ano que vem”, comenta. Até o prefeito da cidade do Rio de Janeiro entrou na onda. “O circuito do Slalom foi um dos maiores desafios (das obras olímpicas) e foi o que, há algum tempo, pôs em dúvida a nossa capacidade de entregar os Jogos Olímpicos. Hoje inauguramos o Parque Radical e iniciamos o evento-teste. As obras foram concluídas no prazo. O curioso é que eu fiz de tudo para que o Slalom fosse no sul do Brasil, em Foz, onde eles já têm uma tradição, porém tive inteligência em ouvir o Nuzman (presidente do COB) e o COI de fazer tudo aqui na cidade”. Declarou o prefeito fazendo referência a possibilidade inicial de levar a disputa para o Canal Itaipu, em Foz do Iguaçu, no Paraná, onde atualmente já funciona uma estrutura de Canoagem Slalom.   MAIS INFORMAÇÕES, ACESSE: DESAFIO INTERNACIONAL DE CANOAGEM SLALOM

  • EVENTO TESTE DE CANOAGEM SLALOM RIO 2016
    EVENTO TESTE DE CANOAGEM SLALOM RIO 2016

    A Equipe Rio 2016 tem o prazer de anunciar que o Evento Teste de Canoagem Slalom está prevista para 26- 29 de novembro de 2015. Este evento, organizado pelo Rio 2016, faz parte do Programa de Eventos Teste Rio 2016 e é uma grande oportunidade para as Nações experimentar o local das competições. Para mais informações, acesse o link: Rio 2016  

  • Reunião na SUDERJ dia 10 de Outubro
    Reunião na SUDERJ dia 10 de Outubro

    Na quinta-feira dia 8 de Outubro aconteceu uma reunião na SUDERJ (Superintendência de Desportos do Estado de Rio de Janeiro) com a presidente da FECAERJ (Federação de Canoagem do Estado de Rio de Janeiro) Srª Sueli Thurow e o representante da canoagem Macaense e diretor executivo da Entidade prof. Gerhard Jancsik. Os assuntos discutidos foram focados no tratado do espaço e atividades no esporte de canoagem velocidade e paracanoagem na lagoa Rodrigo de Freitas no Rio de Janeiro antes e após os jogos olímpicos em 2016, pois o mesmo está recebendo investimentos com normas oficiais para as competições nas olimpíadas. Foi discutido também a possibilidade de implantação de um polo de treinamentos de canoagem velocidade e paracanoagem na lagoa Imboassica no município de Macaé-RJ, pois pesquisas feitas pela entidade no ano de 2012 mostram que há possibilidade de uma raia oficial de mil metros.

  • Campeonato em Tomazina (PR) tem Show de Canoagem!
    Campeonato em Tomazina (PR) tem Show de Canoagem!

    Com muita raça e dedicação os canoístas deram um show de canoagem nas corredeiras do Rio das Cinzas durante os três dias do Campeonato Brasileiro de Canoagem Slalom 2015, em Tomazina, no Paraná. Ana Sátila subiu no pódio três vezes, sendo a melhor no K1 Feminino Sênior, C1 Feminino e na dusputa por Equipe Feminina com sua irmã Omira Neta e Marina Costa, com os tempos de 89.84s, 97.17s e 116.20s respectivamente. “Essa pista é muito rápida, eu consegui diminuir o índice em relação aos barcos masculinos (K1 e C1). Estou bem contente”, comenta atleta que representa o Instituto Meninos do Lago. Pedro Gonçalves mais uma vez foi campeão pelo K1 Masculino. O atleta garantiu o seu pentacampeonato com uma descida sem penalidades com o tempo de 81.38 segundos. “Sou muito exigente com as minhas provas. Não saio tão contente com a minha descida, mas feliz por garantir mais um pódio”, lembra Pepe. Pelo K1 Masculino Júnior Guilherme Rodrigues foi o mais rápido e garantiu sua primeira medalha de ouro na categoria “júnior”. “Estou há um mês treinando aqui, analisando as linhas da água, estou buscando crescer para mais tarde ter bons resultados quando eu subir para o Sênior”, explicou o jovem atleta. O iguaçuense Maicon Borba levou o ouro pelo C1 Masculino Júnior concluindo os 220 metros de corredeiras em 92.72s. Na categoria “Menor” o pirajuense Guilherme Santos foi o melhor, 113.32s. No C1 Masculino Sênior o canoísta Charles Corrêa, também de Piraju/SP, levou o ouro, ao concluiur o percurso em 86.93 segundos. Corrêa também subiu no pódio com Anderson Oliveira pelo C2 Masculino Sênior, com o tempo de 91.74 segundos, somando o quarto campeonato consecutivo. Para Anderson o nível da categoria está crescendo bastante. “Conseguimos abaixar cinco a seis minutos da semifinal. As outras duplas também estão evoluindo bem”, comenta. No C2 Masculino Júnior os gêmeos Wallan e Welton de Carvalho do Instituto Meninos do Lago passaram as dezenove balizas em 97.79 segundos e levaram o ouro, levando o bicampeonato. “Conseguimos nos concentrar muito bem e fizemos muitos treinos”, comenta Welton. “Estamos há quase seis anos treinando juntos, cada um ajuda o outro a evoluir”, explica Wallan. Resultado por Equipes A Equipe formada por Fábio Rodrigues, João Machado e Ricardo Taques representando o Instituto Meninos do Lago foi a mais rápida e levou o ouro pelo K1 Masculino (94.12s). No C1 Masculino Leonardo Curcel, Felipe Silva e Thiago Serra concluíram em 101.44 segundos e garantiram o ponto mais alto do pódio. Já a Equipe Feminina formada por Omira Neta, Ana Sátila e Marina Costa foram as mais rápidas (116.20s). IMEL termina como a melhor associação do Campeonato O Instituto Meninos do Lago (IMEL), de Foz do Iguaçu (PR), foi a associação que mais pontuou no campeonato, fechando com 1000 pontos. A Associação Pirajuense de Esportes Naúticos (APEN) de Piraju (SP), ficou em segundo com 825 pontos e em terceiro lugar o Departamento de Esporte e Cultura de São José do Rio Pardo (SP) com 100 pontos. Evento deixará legado para Tomazina O município no norte pioneiro do Paraná é considerado por muitos canoístas e dirigenstes um dos locais tradicionais para a prática de Canoagem Slalom na região Sul. Na opinião do prefeito da cidade, Guilherme Curi, este evento vai ajudar a reativar o projeto de desenvolvimento do esporte. “Este foi um evento realizado com muito profissionalismo e organização. Agora temos uma pista com boas condições e queremos reestruturar a escolinha. Vamos colocar a cultura da canoagem desde pequeno no tomazinense”, comenta. Para Gustavo Borges, assessor da presidência do BNDES, patrocinador oficial da Canoagem Brasileira, as expectativas em relação ao evento foram superadas. “Estamos muito satisfeitos com este campeonato. Muito interessante trazer um evento deste porte para o interior do Brasil. É uma forma do país se ver e se conhecer através do esporte”. Ele reafirma o apoio do banco à canoagem. “Temos novos projetos pensando em 2016. Estamos apoiando e estruturando não só no desenvolvimento dos atletas, mas também na organização das competições”, explica. De acordo com João Tomasini Schwertner, presidente da Confederação Brasileira de Canoagem, a modalidade está chegando a um patamar grande de qualidade dentro e fora de água. “Talvez dois ou três países do mundo tenham eventos nacionais com este nível de organização. Queremos sempre elevar a modalidade a um ponto melhor de qualidade. Buscamos sempre superar o nível de excelência que proporcione aos atletas, ao público e aos patrocinadores o conhecimento e a evolução da Canoagem Slalom”, lembra. A Canoagem Brasileira vem ganhando destaque em níveis nacional e internacional através do trabalho incessante em transformar o esporte no país e tornar o Brasil uma das grandes potências da Canoagem Mundial. Para isso, a Canoagem Brasileira tem apoio significativo do Ministério do Esporte, Comitê Olímpico do Brasil, Comitê Paralímpico Brasileiro, Itaipu Binacional, Unimed, Seguros Unimed, e principalmente, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES que é o patrocinador oficial da Canoagem Brasileira e da GE do Brasil, mais novo patrocinador do esporte. O evento no Paraná também conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Tomazina que pretende transformar a cidade em referência na prática da Canoagem Slalom.

  • Percurso desafiador e o respeito fizeram a Copa Brasil de Canoagem Oceânica ser sucesso
    Percurso desafiador e o respeito fizeram a Copa Brasil de Canoagem Oceânica ser sucesso

    Aconteceu no domingo a Copa Brasil de Canoagem Oceânica, em Cabo Frio/RJ. Etapa que fez parte do Circuito de Canoagem Oceânica e Va'a, patrocinado pelo BNDES através da Lei de Incentivo do Esporte. Por se tratar de uma etapa fora do Circuito Brasileiro da modalidade, a grande preocupação era a baixa adesão de atletas, porém a supervisão e a organização ficaram satisfeitas com o número de atletas na prova, principalmente por já haver um déficit de 25 atletas que estavam representando o país no Mundial da modalidade, no Tahiti.    No sábado, dia 03 às 18h o telão do evento exibiu ao vivo a prova masculina que estava sendo realizada no Tahiti. Alguns canoístas estiveram presentes na praia ao cair da noite para acompanhar e torcer pelos brasileiros que disputavam a prova mais importante da modalidade.    Já no domingo, a grande preocupação da organização era que no mesmo dia, paralelamente com etapa da Oceânica, a modalidade Va'a realizaria o triângulo de fogo ao vivo na Sportv, das 11h às 12h. Não poderia haver qualquer tipo de intervenção das embarcações oceânicas no percurso da Va'a. Informação que foi apresentada e reforçada aos atletas durante o briefing da Oceânica, realizado pontualmente no horário previsto, pelo supervisor da CBCa Jefferson Sestaro.   Respeito foi a palavra. Jefferson frisou aos atletas a necessidade deles respeitarem o que estava sendo colocado sobre não atrapalhar a Va'a e nem a transmissão da televisão e prontamente os atletas entenderam que para a modalidade Oceânica ser respeitada, eles precisam respeitar as outras e assim foi feito. Os atletas entenderam o local de largada e chegada, que apesar de ter ficado um pouco isolado ao canto direito do evento, não tirou o brilho da prova Oceânica.   Conforme o previsto no cronograma do evento, a largada foi feita pontualmente às 09h da manhã. E as embarcações partiram ao mar claro e aparentemente calmo de Cabo Frio. A largada Le Mans da Oceânica é um espetáculo a parte, em que os atletas partem da areia correndo com seus remos em mãos, pegando sua embarcação e se lançando à água. A movimentação e o colorido das embarcações dão o show a parte no local paradisíaco que é Cabo Frio.   O percurso de 17km tinha o ponto de partida da Praia do Forte, seguindo para a Ilha do Papagaio, onde já é considerado mar aberto, onde começou a parte técnica do percurso. Após o contorno da bóia da Ilha do Papagaio, os atletas apontaram a proa das embarcações para Arraial do Cabo, buscando a Ilha da Praia do Farol. Esta parte do percurso alinhava com a ondulação predominante do local, proporcionando momentos de aproveitamento da ondulação para surfar com os surfskis. Após o contorno da Ilha de Arraial do Cabo, os canoístas iam em direção à praia de Cabo Frio, contornando uma bóia estrategicamente colocada perto da arrebentação para que a chegada na Praia do Forte ficasse de fora do triângulo de fogo da Va'a.   A primeira embarcação a completar a prova foi a dupla master Marcelo Sabino e Paulo Moté, da ACOAR, Angra dos Reis, com o tempo de 1h33m10s. Robson Pereira, também da ACOAR, foi o primeiro individual a completar a prova com 1h37m52s e compôs o pódio na categoria sênior com Ricardo Maia, ACOAR em 2º lugar e João Claudio Rabha, ECOEN Marinha do Brasil em 3º.     Na categoria individual Junior, Bruno Gomes ficou em 1º lugar e usou o espírito esportivo para ajudar o para atleta José Agmarino que teve seu caiaque avariado, causando alagamento. Bruno prontamente ajudou José, abrindo mão do pelotão de frente e ambos completaram suas provas. José Agmarino ficou em 1º na paracanocagem masculina e Aline Lopes 1º na feminina.   Na categoria master o 1º lugar ficou com Leonardo Carneiro e em 2º Marcelo Cameira, seguidos da disputada categoria super master onde Marcelo de Barros Martins, faturou o 1º lugar, seguido de Rubens Pompeu e Evaner Coscia.   O feminino fechou pódio com as atletas Rayssa Silva em 1º lugar, Viviane Vaz em 2º e Thallita Bonfante em 3º. Nos duplos, a sequência ficou no junior com João Pedro e Marco Vinicius, Lucas Macedo e Samuel Flávio e a dupla mista Guilherme e Kênia.   A premiação foi realizada dentro do horário previsto - 12h30, contou com a presença do presidente da Confederação Brasileira de Canoagem João Tomasini, Rubens Pompeu presidente da AbraCan, Manuel Gil supervisor da Va'a, Jefferson Sestaro supervisor da Oceânica e Marllon da Va'a Cabo Frio. A equipe ACOAR foi a grande vencedora com 985 pontos, seguida da Turma do Remo com 945 e empate entre Marinha do Brasil e Clube São José dos Pinhais.   Foram 35 atletas inscritos, 24 atletas presentes com 31 embarcações, 6 equipes representando 4 estados brasileiros.   Resultados completos na página do evento: http://www.canoagem.org.br/evento/resultados/eventos_id/874

  • Mundial Vaa Rio de Janeiro 2014
    Mundial Vaa Rio de Janeiro 2014

    Aconteceu no último final de semana no  Rio de Janeiro o Mundial de Vaa.  O evento foi muito bom apesar de alguns problemas técnicos segundo Dayone, principalmente nas largadas por conta do vento e dos árbitros... O Brasil surpreendeu o mundo da Vaa! Ficamos no 4º lugar no geral, atrás apenas do Taiti, Austrália e Havaí. Participaram das competições mais de 700 atletas e 19 países. As equipes e atletas individuais do Rio de Janeiro tiveram excelentes colocações.  “No primeiro dia já estávamos no pódio com a categoria V12 MASTER masculina,com a participaçao de Mauro Batista e Carlos Araujo de Cabo Frio,  ficamos com o Ouro.”  A V12 OPEN Feminina sagrou-se Vice-campeã Mundial, Dayone e Viviane Matero resolveram unir as equipes Mana Brasil CNCF e Matero e esta foi uma receita que deu muito certo. Destaque também para a equipe dos Juniores 16 (cadetes), que foram  vice-campeões  Mundiais, junção de Cabo Frio e Rio.Estou muito orgulhosa dos meus alunos, Igor Rossi, Caio Sad e Diego Soriano que fazem parte do Projeto social  Crescendo com o Esporte e  os meninos do Rio Vaa, Leon e Thomas Burlon. Outro destaque do Rio de Janeiro foi na categoria V6 Master 500m, a equipe Mana Brasil CNCF, sagrou-se Campeã Mundial e vice-campeã na V6 Master 1000m.   Na V6 OPEN 500m Feminina, a Equipe Mana Brasil CNCF Open foi a mais bem colocada do país, com o Quinto Lugar no geral. Já na prova de 1500 m a Equipe Matero ficou com o quarto lugar. No Individual (V1), Dayone do CNCF, passou nas eliminatórias direto para a semi-final e Carol Covas do Rio Vaa fez a repescagem passando também. As duas foram para a disputa na semifinal ,mas  infelizmente não conseguiram avançar para a final mas foi a brasileira que chegou mais perto, não entrando por 1 segundo de diferença. O que mais impressionou Dayone foi o nível técnico dos atletas tahitianos!!! A federação de Canoagem do Estado do Rio de Janeiro vem parabenizar a todos os atletas  pelas participações e isto demonstra o quanto o esporte vem crescendo no estado. Parabéns....

  • Isaquias conquista o bicampeonato mundial na Rússia
    Isaquias conquista o bicampeonato mundial na Rússia

    O jovem Isaquias Queiroz segue fazendo história na Canoagem Brasileira. Hoje, último dia do Campeonato Mundial de Canoagem Velocidade e Paracanoagem 2014, em Moscou, na Rússia, o brasileiro tornou-se bicampeão mundial ao vencer a final do C1 Masculino 500m. Ano passado, no Mundial na Alemanha, ele havia garantido o título com sua primeira medalha de ouro da competição. Além do ouro, Isaquias também conquistou um bronze com Erlon de Souza no C2 Masculino 200m. Valdenice Conceição conquistou o bronze no C1 Feminino 200m, primeira medalha da canoa feminina do Brasil em mundiais.   Isaquias cada vez mais desperta a atenção no cenário mundial, se fortalece como o maior campeão da história da Canoagem Brasileira e segue como uma grande esperança para o Brasil nos Jogos Olímpicos Rio 2016.   O brasileiro terminou a final com o tempo de 01:47.916. A prata ficou com o alemão Sebastian Brendel com 01:49.433 e o bronze com o tcheco Martin Fuksa com 01:49.726.   “É um pouco de felicidade e tristeza pela fatalidade que aconteceu ontem, mas levantei a cabeça, com meus amigos e todo mundo me fortalecendo. Vim focado e estou aqui subindo no pódio”, disse o bicampeão mundial.   Questionado sobre o segundo lugar e a preparação para o Rio 2016, o atual campeão olímpico nos 1000m, Sebastian Brendel, analisou. “Tive uma boa largada e fui bem nos primeiros 200 metros, peguei o segundo lugar. Ainda tem muito tempo até os Jogos Olímpicos e ano que vem ainda teremos o Mundial em Milão (Itália)”, ressaltou.   Isaquias e Erlon conquistam o bronze no C2 Masculino 200m Mais um bronze para a coleção de Isaquias Queiroz. Desta vez o brasileiro, remando em parceira com Erlon de Souza, conquistou o bronze na Final A do C2 Masculino 200m com o tempo de 36.064. O ouro ficou com os russos Ivan Shtyl e Alexey Korovashkov (35.350) e a prata com os alemães Robert Nuck e Stefan Holtz (35.706). “É uma sensação maravilhosa (ser medalhista). Treinamos poucas vezes juntos, mas o resultado mostra que temos futuro. Com o Isaquias minhas características mudam um pouco em relação aos 1000m. Com ele forço bastante meu limite nos 200 metros”, informa Erlon.   Para o técnico Jesús Morlán os resultados atingidos por toda a equipe é fruto do período de treinamento visando o Mundial. “Foram excelentes resultados. Treinamos muito para isso”, afirma.   Valdenice é bronze no C1 Feminino 200m A canoísta Valdenice Conceição também teve um ótimo resultado hoje em Moscou e conquistou a primeira medalha da canoa feminina do Brasil. Valdenice conquistou o bronze na Final A do C1 Feminino 200m com o tempo de 47.099, atrás apenas da campeã, a experiente canadense Laurence Vicent-Lapointe com 46.419 e da vice, a búlgara Staniliya Stamenova, com 46.977. Para ela é apenas a primeira medalha de muitas que podem vir por aí. “Ano passado cheguei em 4o e este ano peguei o bronze. Treinei muito e espero que venham mais medalhas nos próximos campeonatos”, disse.   Mais Finais A do Brasil As canoístas Andrea de Oliveira e Angela da Silva foram as primeiras brasileiras a disputarem uma Final A neste domingo, na Rússia. Na final do C2 Feminino 500m a dupla chegou em 5o lugar com o tempo de 2:10.528. O ouro ficou com a dupla da Hungria com 2:03.152, a prata com a Biélo-Rússia 2:04.562 e o bronze com a Rússia com 2:06.719.   No C2 Masculino 1000m a dupla formada por Erlon de Souza e Ronilson Oliveira chegou na 8a posição da finalíssima com o tempo de 3:33.388, em prova que a Romênia ficou com o ouro (3:28.340), a Hungria com a prata (3:28.690) e a Alemanha com o bronze (3:30.442)   Finais B Depois de participarem semanas atrás do Mundial Junior & Sub-23, na Hungria, a jovem dupla brasileira formada por Vagner Souta e Eduardo Fagundes enfrentou os melhores atletas do mundo em Moscou. O melhor resultado da dupla foi hoje com o 7o lugar na Final B do K2 Masculino 500m (1:36.512). Nivalter Santos disputou a Final B do C1 Masculino 200m e chegou na 5a colocação com o tempo de 39.800.   Finais C A canoísta Ana Paula Vergutz foi a primeira atleta do Brasil a entrar na água neste domingo em Moscou. Ela disputou a Final C do K1 Feminino 500m, prova em que chegou na 2a posição com o tempo de 1:56.408. Edson Silva competiu na Final C do K1 Masculino 200m e chegou na 2a posição da prova com 35.272.   Crescimento dos resultados e caminho para Rio 2016 Para o presidente da Confederação Brasileira de Canoagem, João Tomasini Schwertner, os resultados cada vez melhores e a evolução da Canoagem Brasileira é fruto de todo o apoio e planejamento que o esporte está recebendo rumo aos Jogos Olímpicos Rio 2016.   “Com o apoio que temos recebido nós temos possibilidade de fornecer as melhores condições de desenvolvimento para nossos atletas. O caminho para Rio 2016 está no rumo certo e podemos crescer ainda mais, mesmo depois dos Jogos Olímpicos por meio do aprimoramento das nossas categorias de base para revelar ainda mais atletas para a Canoagem Brasileira”, ressaltou Tomasini.   As Seleções Brasileiras de Canoagem Velocidade e Paracanoagem participaram do Campeonato Mundial 2014 com apoio fundamental do patrocinador oficial da Canoagem Brasileira – BNDES, Comitê Olímpico do Brasil, Comitê Paralímpico Brasileiro e Ministério do Esporte por meio da Lei do Incentivo ao Esporte.   Resultados: http://www.results.imas-sport.com/imas/regatta.php?competition=wettkampf_112   Site oficial do evento: http://canoemoscow2014.com   Atletas Canoagem Velocidade Ana Paula Vergutz - CRC Andrea Santos de Oliveira - ACC Angela Aparecida Elias da Silva - AVIC Celso Dias de Oliveira Junior - ARCCA Cinara de Lima Camargo - CAP Edson Isaias Freitas da Silva - GAC Eduardo Schu Fagundes - ARCCA Erlon de Souza Silva - CAP Isaquias Queiroz dos Santos - CAP Nivalter Santos de Jesus - CAP Ronilson Matias de Oliveira - CAP Vagner Junior Souta - CRC Valdenice Conceição do Nascimento - ACI   Atletas da Paracanoagem Patrick Ronald Nunes de Almeida - APEN     Fernando Rufino de Paulo - CAIRA      Fernando Fernandes de Pádua - CAP Caio Ribeiro de Carvalho - Rio Va'a Luis Carlos Cardoso da Silva - AVIC   Marta Santos Ferreira - ACI    Andréa Pontes e Silva - ACKC Debora Raiza Ribeiro Benivides - ADD   Equipe Técnica Heros Ribeiro Ferreira – Chefe de Equipe Canoagem Velocidade Pedro Alves de Sena Junior – Técnico Canoa Feminina Lauro de Souza Junior – Técnico Caiaque Feminino Jesus Tomas Morlan Farina – Técnico Canoa Masculina Rui Fortunato Soares Fernandes – Técnico Caiaque Masculino Iran Schleder Junior – Coordenador de Comunicação Newton Alex Vendrani da Silva - Fisioterapeuta Leonardo Maiola – Chefe de Equipe Paracanoagem Akos Angyal – Técnico Paracanoagem Thiago Pupo – Técnico Paracanoagem Luiz Gustavo dos Santos – Auxiliar técnico Paracanoagem Paulo Barbosa – Técnico Paracanoagem Patricia Moreno – Médica Jalusa Storch – Fisioterapeuta

  • Paracanoagem abre o desafio brasileiro no Mundial em Moscou
    Paracanoagem abre o desafio brasileiro no Mundial em Moscou

    Na Alemanha, no ano de 2013, a Canoagem Brasileira teve um inédito e histórico resultado com a conquista de cinco medalhas, duas na Canoagem Velocidade com o jovem Isaquias Queiroz e três na Paracanoagem com Fernando Fernandes, Caio Ribeiro e Tamara Oliveira. O desafio deste ano acontece em Moscou, na Rússia, onde os atletas brasileiros enfrentam novamente os melhores do mundo no Campeonato Mundial de Canoagem Velocidade e Paracanoagem 2014, evento que se inicia nesta quarta-feira e termina no domingo (10/08). As disputas da Paracanoagem abrem a competição com a disputa de 34 provas nesta quarta-feira, sendo seis delas finais: V1 Feminino TA, K1 Feminino A, V1 Masculino TA, K1 Feminino TA, V1 Masculino A e V1 Feminino A.   Ao todo no evento são mais de 870 atletas de 71 países na disputa por medalhas em 29 categorias, entre eles muitos campeões mundiais e olímpicos, como é o caso dos brasileiros Isaquias Queiros, campeão mundial no C1 500m na Canoagem Velocidade; e Fernando Fernandes, tetracampeão mundial no K1 A e Caio Ribeiro, campeão no V1 LTA, ambos na Paracanoagem. No Mundial 2014 o Brasil é representado por 21 canoístas, 13 na Canoagem Velocidade e oito na Paracanoagem. A equipe técnica que acompanha a equipe é formada por 14 profissionais, entre eles chefes de equipes, treinadores, médicos, fisioterapeutas, jornalista, etc.   Nesta quarta-feira teremos todos os paracanoístas brasileiros na água em busca das primeiras medalhas do evento. A primeira a competir será Marta Ferreira na eliminatória 1 do K1 Feminino TA, prova de abertura do campeonato. Marta também compete na eliminatória 1 do K1 Feminino LTA. O segundo brasileiro a entrar na água será Luis Carlos Cardoso na eliminatória 1 do V1 Masculino TA. Luis Carlos também compete, à tarde, a final direta do V1 Masculino A. Logo depois será a vez de Fernando Fernandes disputar a eliminatória 1 do K1 A.   Ainda de manhã, período das disputas de eliminatórias da Paracanoagem, o estreante Fernando Rufino disputa a eliminatória 1 do K1 Masculino TA, seguido por Debora Benivides na eliminatória do V1 TA. Fechando a manhã de provas com presença brasileira o paracanoísta Patrick de Almeida compete na eliminatória 2 do K1 Masculino LTA.   À tarde, quando serão disputadas as semifinais e as seis primeiras finais da Paracanoagem. Caio Ribeiro disputa a final direta do V1 Masculino LTA e Andréa Pontes a final do K1 Feminino A.   Expectativa da estreia Um dos estreantes em Mundial da Canoagem Brasileira é o “cowboy” Fernando Rufino, 29 anos, visto como uma das grandes esperanças da Paracanoagem Brasileira. Fernando, natural de Itaquiraí no Mato Grosso do Sul e boiadeiro toda a sua vida, encontrou no esporte o prazer de competir depois que sofreu um acidente ao cair de um ônibus e ser atropelado pelo mesmo em 2005.  “Fui boiadeiro e peão de rodeio minha vida toda, mas foi um ônibus que me machucou. Foi através da reabilitação do acidente que conheci a canoagem. Não tenho medo aqui não (adversários no Mundial), pois também sou filho de homem”, disse confiante com característico sotaque sertanejo o atual campeão brasileiro em sua categoria.

  • Luis Carlos é ouro para o Brasil
    Luis Carlos é ouro para o Brasil

      Na última prova, com presença brasileira, do primeiro dia de competição do Campeonato Mundial de Canoagem Velocidade e Paracanoagem 2014, em Moscou, na Rússia, o paracanoísta Luis Carlos Cardoso garantiu a primeira medalha para o Brasil. Luis Carlos levou o ouro no V1 Masculino A 200 m com o tempo de 54.944 segundos, seguido pelo ucraniano Oleksandr Hrechko com 57.481 e pelo húngaro Róbert Suba com 59.136.   Luis destaca que foi um ano de muita preparação e dedicação pensando apenas neste momento. “Abdiquei de muita coisa para conquistar isso (medalha). Também quero agradecer muito à Deus e ao meu treinador. Agora é seguir treinando e buscar o bicampeonato no próximo ano”, revelou.   O medalhista Luis Carlos também disputou o V1 Masculino TA, mas não conseguiu avançar para a final ao chegar na 5a colocação da semifinal.   Mais lutas por medalhas O tetracampeão Fernando Fernandes encontrou novos e fortes adversários em sua estreia do Mundial 2014 e garantiu lugar para a final do K1 Masculino A com o 2o lugar na eliminatória 1 da categoria. Fernandes disputa a finalíssima na sexta-feira (08/08) em busca do pentacampeonato.   Quem também luta por medalha na sexta-feira é Patrick de Almeida na Final A do K1 Masculino LTA. Patrick conquistou a vaga ao garantir o 2o lugar na semifinal 2 da categoria.   Amanhã tem mais finais com brasileiros na Paracanoagem Além das finais disputadas hoje, os estreantes Fernando Rufino e Debora Benivides tiveram bons resultados em suas eliminatórias e também garantiram presença diretamente para as finais nas categorias K1 Masculino TA e V1 Feminino TA, respectivamente. Rufino chegou em 2o lugar e Debora em 3o em suas eliminatórias. Ambas as finais acontecem na tarde desta quinta-feira na raia olímpica de Krylatskoye, reformada recentemente e utilizada nos Jogos Olímpicos de Moscou, em 1980.

  • Isaquias na Final A e finais adiadas na Paracanoagem
    Isaquias na Final A e finais adiadas na Paracanoagem

    O tempo fechou em Moscou. Devido às más condições do tempo no fim da tarde desta quinta-feira na capital russa, as finais da Paracanoagem marcadas para hoje foram adiadas para amanhã no Campeonato Mundial de Canoagem Velocidade e Paracanoagem 2014. Assim, Fernando Rufino, no K1 Masculino TA, e Debora Bevinides, no V1 Feminino TA, esperarão mais um dia em busca de suas medalhas. A boa notícia do dia foi a classificação do jovem Isaquias Queiroz para a Final A do C1 Masculino 1000m, prova olímpica em que ele conquistou o bronze no Mundial do ano passado na Alemanha.   Isaquias enfrentou na eliminatória e semifinal campeões olímpicos e mundiais, e em ambas as provas ele garantiu o 1o lugar demonstrando muito apetite em busca do ouro neste ano. Isaquias busca a medalha no sábado às 11h30 (horário local).   [caption id="attachment_222" align="alignnone" width="740"]  David Cal e Isaquias Queiroz, amigos de treinamento no Brasil e adversários na Final A do C1 Masculino 1000m[/caption]   Celso Oliveira na Final C do K1 1000m O canoísta Celso Oliveira está classificado para a Final C do K1 Masculino 1000m ao chegar na 6a colocação da semifinal 3 da categoria. Celso disputa a final no sábado às 10h05 (horário local).   Os jovens canoístas Vagner Souta e Eduardo Fagundes competiram na eliminatória 1 do K2 Masculino 1000m, mas não conseguiram prosseguir na categoria ao chegarem na 8a colocação da prova. Eles ainda têm chances no Mundial, nesta sexta-feira, nas eliminatórias do K2 Masculino 500m.   Amanhã haverá as disputas das eliminatórias e semifinais nos 500 metros e 1000 metros, além das eliminatórias nos 200 metros. Angela Aparecida  e Andrea de Oliveira competem no C2 Feminino 500m, Ana Paula Vergutz no K1 Feminino 500m, Isaquias Queiroz defende o ouro no C1 Masculino 500m, Erlon de Souza e Ronilson Oliveira disputam o C2 Masculino 1000m, Edson Freitas da Silva no K1 Masculino 200m, Nivalter Santos disputa o C1 Masculino 200m, Cinara Camargo o K1 Feminino 200m, Valdenice Conceição o C1 Feminino 200m, e fechando as eliminatórias com presença brasileira Erlon Souza e Isaquias Queiroz competem no C2 Masculino 200m.     Mais finais na Paracanoagem nesta sexta-feira Nesta sexta-feira a Paracanoagem tem ainda mais três chances de conquistas medalhas no Mundial de Moscou. Fernando Fernandes busca o pentacampeonato na finalíssima do K1 Masculino A. Depois será a vez de Debora Benivides disputar sua segunda final do dia, mas agora no V1 Feminino LTA. Fechando o dia de finais na Paracanoagem Patrick de Almeida compete na Final A do K1 Masculino LTA.

  • A FECAERJ

    A FECAERJ é uma organização oficial que defende nosso esporte “Canoagem” em todas as modalidades oficiais dentro do estado do Rio de Janeiro. Filiada à Confederação Brasileira de Canoagem a qual é estruturada com um conjunto de todas as Federações a nível nacional, a FECAERJ é formada com Entidades locais, atletas e colaboradores, firmando então uma rede nacional estruturada e organizada pronta para defender nosso esporte, dentro e além das fronteiras Brasileiras. É uma estrutura necessária para defender o esporte e cada um de vocês atletas são uma peça importante para o desenvolvimento do mesmo no estado e país. A FECAERJ é uma organização sem fins lucrativos fiscalizando e apoiando, dentro das suas possibilidades, eventos oficiais, sempre defendendo e orientando suas entidades e atletas filiados em prol de um esporte melhor.

CIRCULARES

EVENTOS

Links Técnicos

Links Comerciais